Foi na passada quinta-feira, 26 de Julho, exibido na Casa dos Crivos o documentário “O Círculo do Veneno”. O círculo que ganhou forma quando uma aparente defesa face ao desequilíbrio ambiental criou novos desequilíbrios.

O veneno (pesticida tóxico) por vezes sem nome, mas de impacto real em comunidades reais. Tivemos o prazer de receber o Prof. Raul Rodrigues (Entomologia e Professor Adjunto na Escola Superior Agrária do IPVC), que nos ajudou a entender a problemática. Nomeia como alguns dos “sintomas” de que o círculo existe: – Elevada taxa de pessoas com mal formação; gradual desaparecimento das abelhas; diminuição da biodiversidade; terrenos verdes em vez de campos, entre outros. “É preciso compreender a natureza!”, afirma.

E para “quebrar” o círculo: – Mudança de postura da Europa e do mundo; alteração do modelo económico vigente; necessidade de aplicação de legislações; consciencialização/educação da população. Falou-se da importância de entender o que são as pragas, e do controle biológico das mesmas. A lógica da “luta contra os insectos” é muito nefasta. Devemos aprender a viver com todos os seres vivos, apenas evitando que surjam desequilíbrios entre os insectos e as espécies que queremos produzir.

Da revolução verde (que foi anti-ecológica) e da importância de recuperar a tradição. A sabedoria, por vezes milenar, que nos pode guiar nesta senda. Se deixarmos. Urgência e esperança num sistema que dê resposta às gerações atuais e futuras, socialmente justa e sustentável. Uma forma de estar na vida. O Butão já decidiu que o seu lucro maior seria medido em felicidade. Seguimos exemplo?