“Nós somos todos um” – foi com esta premissa que se iniciou mais um Eco vs Ego, desta vez com o documentário Inhabit – uma perspetiva da permacultura. Permacultura como design de resposta às necessidades da natureza e do ser humano como parte dela.

Esta perspetiva ecológica com capacidade para identificar problemas na agricultura, economia, governação, etc., parece ser em si também a solução. Nesse sentido foram dados exemplos concretos de projetos em andamento, e no seu testemunho pessoas comuns movidas por um ideal. Após o documentário abriu-se espaço a debate, iniciado pela intervenção da convidada Atimati Aroso.

Falou-se de agricultura regenerativa. “Regenerar o solo, a nós e à sociedade”, defende Atimati. Entre outros pontos, destacamos:

Solo – Necessidade de biodiversidade em detrimento de monocultura; uso de maquinaria prejudicial à dinâmica do solo e dos ecossistemas; importância da conservação de sementes e da não utilização de pesticidas.

Nós – Consciência do consumidor face ao tipo de produtos que adquire (ex. consumir produtos de época).

Sociedade – Consumo de informação fidedigna como chave para a consciencialização da população. “Temos que alarmar/acordar!”, afirma a convidada. E foi com este “aviso” que o documentário Inhabit habitou este fim de noite com a necessidade de uma “grande mudança”. Seremos nós, seres comuns, os seus agentes?

Agradecemos ao Município de Braga pela parceria na conclusão de um ano de projeto!